• Kadhi Kadhi

    “O brasileiro, povo corrupto por natureza, criado com a “lei de Gerson” onde sempre busca tirar vantagens, deve tomar muito cuidado quando escolher o modelo de governança da ecovila.”
    Eu tiraria isso do texto. Nao corresponde a verdade, voce como brasileiro se ve dessa forma?

  • Rodrigo Capanema

    Se vc pegar as 20 maiores economias do planeta, o Brasil estará sim em último lugar no quesito corrupção….desde a época do império que o Brasil é famoso por “funcionar” somente à base de pixulecos. Temos muito o que aprender com os povos escandinavos, anglo-saxoes, francos, germanicos etc … nossa colonização latina de exploração realmente fez germinar uma cultura “lei de gérson” que ainda está arraigada tipo fedor brabo, que só depois de muita “janela aberta” – transparência -, “desinfetante” – consciência política -, educação, tempo e persistência conseguiremos superar. Até os defensores da “ética na política” fizeram o que na hora h ?? sou brasileiro, mas já morei fora 10 anos, entre 90 e 2000, e é assim mesmo que vejo o Brasil. A maioria quer mesmo é usufruir, ou ganhar, o máximo… gastando o mínimo, ética em segundo plano…..aproveito para elogiar o texto, muito abrangente, apesar de compacto e muito realista. concordo com todos os itens citados. ecovila é um jogo de xadrez com monopólio e loteria….sem cuidado e muita honestidade, é 100% chance de fracasso…abs

  • Semente

    Que merda hein! Uma pessoa sem experiência querendo falar sobre o que não sabe…

  • Semente

    Pior são esses institutos que só querem enriquecer as custas da Permacultura. Cobram preços caríssimos para a classe média brincar com a terra e acham que estão promovendo alguma transformação. Pegaram uma ferramenta anti-capitalista e transformaram ela em uma maquina do sistema. Tenho pena. Aos poucos as mascaras caem.

  • Ricardo Lopes

    “O brasileiro, povo corrupto por natureza, criado com a “lei de Gerson” onde sempre busca tirar vantagens,” Isso fica por conta do seu viralatismo. Uma nação como os EUA contam com um governo muito bem equipado para ROUBAR o Mundo para que eles consigam VANTAGENS, ou seja não precisam roubar quando já estã roubando por eles. O Canadá, a Inglaterra, além de se beneficiar, tem também a rainha que se você não sabe é a mulher mais rica da Europa, a Alemanha, como o senhor mesmo citou, não fica atrás, pois sabe muito bem como explorar outras Nações, uma França, não é diferente.

  • Rodrigo Capanema

    nossa, isso agora virou discussão política….aff.. amigo, compare quanto custa um deputado aqui e um na suécia, p ex…. compare o numero de politicos aqui e em países mais desenvolvidos….outros exemplos: 1) eu trabalhei num órgão aqui no brasil, justamente no depto. de licitações, durante 3 anos, e vi os maiores absurdos serem perpretados na maior cara – de – pau … tive que pedir pra sair pra não ter que ver aquilo……2) tive um relacionamento com uma menina cujo pai era “médio clero” daquele banco de desenvolvimento que “deu” grana pra Cuba e Venezuela, ele veio do nada e já tá com casas e chácaras etc etc…. 3) já participei de várias iniciativas sociais e de comunidades intencionais (ecovilas) que, via de regra, descambaram para atitudes arbitrárias e/ou desonestas….. poderia escrever laudas e laudas….fato: não há comparação entre a ética na política e nas relações entre as pessoas médias da america do norte, europa e japão e as que acontecem aqui no Brasil. Pode espernear à vontade, mas tanto as leis quanto os hábitos praticados aqui ainda estão MUITO aquém dos supra citados. abs

  • Carlos Eduardo Fontana

    Oi..Olha fora a arrogância do cidadão o texto tá bom demais..Muitas verdades.Mais só tem um porém..Sem LUZ nenhum projeto funciona nem com dinheiro muito menos com boas intenções..Se for pra ser vai ser com PDC ou sem.Eu como espiritualista considero também conceber pessoas que ainda não conheço mais posso ter afinidades com ela depois que a conhecer por um tempo e quem sabe até já tenha uma história com ela em uma outra vida..Fica a dica.

    • Nilson Dias

      Olá Carlos, tudo bem? Esta inocência de “se for pra ser vai ser” é o tipo de cegueira da qual estou falando neste texto. Você deve se achar muito capaz de iniciar uma ecovila, dado seu email ser Ecovila Paial, agora saiba que GRANDES MESTRES como Paramahansa Yogananda tentaram iniciar comunidades espirituais e tiveram dificuldades e a coisa não foi para frente, justamente por despreparo das pessoas (e não do idealizador da comunidade). Logo a capacitação, o trabalho de auto-conhecimento e desenvolvimento de todos é fundamental para o sucesso do projeto. Obviamente podemos desenvolver profundos laços com pessoas que ainda não conhecemos, isto requer não só “afinidade” mas muito trabalho de ambos os lados. Abraços fraternos, Nilson Dias

  • Geovana Madeira Narcizo

    Oi Nilton ! Achei muito bom seu texto , realmente muito sóbrio . Entendo sua intenção por trás dele , sobre querer alertar “inocentes” sonhadores que tendem a se jogar em projetos já fadados ao fracasso , e a história se repete e se repete em diversas comunidades .. Mas é um texto tão negativo ! Se você não quer assustar as pessoas logo de cara , talvez seria mais adequado ser mais suave primeiro , e liberar o conteúdo depois , pra quem tiver capacidade de entender . Você que defende formações , procure fazer sobre CNV .
    Atenciosamente .

    • Nilson Dias

      Olá Geovana, tudo bem? Na verdade é um texto positivo, basta fazer tudo ao contrário 😉 O intuito não é de assustar, mas trazer um pouco de realidade de uma forma até descontraída, acho que talvez você não esteja acostumada com estes tipos de artigos na Internet, que justamente brincam com nossas fraquezas, tipo “Como destruir seu casamento” ou “Como levar a ruína sua empresa” acaba aguçando mais a curiosidade das pessoas em ler o artigo. Abraços fraternos!

  • Flavia Bianchini

    Parabéns pelo texto. Ótimas orientações! Como posso aprender mais sobre o assunto? Estou querendo criar uma pequena “ecovila” dentro da minha propriedade para 5 famílias (amigos/conhecidos com interesse por Yoga), más, gostaria de aprender mais sobre como estruturar as questões legais, regras de convivência, etc., não quero correr riscos e me arrepender. Vc pode me sugerir cursos ou leituras?

  • Kirttan Lilamoy

    Conheço e vivencio, fundei e vivi desde 1975 em comunidades alternativas, libertárias, espiritualistas…enfim…Posso garantir que TUDO O QUE O AMIGO DISSE… É RELATIVO! Dependendo da “cara” do coletivo integrado, questões legais podem ser vitais, em outros, de pessoas mais maduras e “sacadas”, questões legais e judiciais iriam inviabilizar. Também poderia incluir mais uns 20 itens fora e ou excluindo, ou ainda discordando, de alguns desses citados…O que mais importa é que, se alguém está verdadeiramente a fins desse modo de vida, vai ajustar as situações e circunstâncias sempre com boa vontade e perseverança. O Caminho se faz …ao caminhar! Lembre: Viver NÃO É preciso! ( observar que preciso aqui, no texto famoso, de Fernando Pessoa, esta indicando precisão métrica e não… necessidade…) Jayahoo!

  • LeiaMaisSuaAnta

    Não existe nada “por natureza”. Somos nossa existência, porém admito que a ignorância aqui é brutal e portanto a amoralidade corre solta (daí corrupção, ‘jeitinho’, negociatas, “comissões”, “recompensas”, etc). No geral o artigo é bom, mas “cola” não é algo adequado a uma comunidade intencional tolerante, afinal, diferenças são o que nos faz crescer e sem ela, não existe ecovila ou comunidade mas sim um monastério, templo, caserna, etc. A Tibá em São Carlos/SP é um bom exemplo (o que não quer dizer paraíso idílico ou “perfeição”) de maturidade em ecovila, onde convive a diversidade, obviamente dentro de um conceito mínimo da moralidade (não confundir com moralismo) e justiça.