Conheça a bioconstrução e as casas feitas de terra

Tempo de leitura: 5 minutos

Arquitetos revisitam técnicas como adobe, pau a pique e taipa de pilão para construir edifícios mais confortáveis com madeira, bambu e barro

Se você está achando uma equação difícil construir rápido uma casa confortável e barata, saiba que a resposta pode já estar em seu terreno. A chave para o problema pode ser a bioconstrução, um conjunto de técnicas para construir edifícios com terra e fibras vegetais, como madeira de demolição e bambu. Apesar do nome moderninho, a bioconstrução emprega tecnologias conhecidas por qualquer um que já tenha passado férias no interior do país: pau a pique, taipa de pilão e tijolos de adobe, por exemplo. Mas não espere casas infestadas de insetos e derretendo com a chuva. Os bioconstrutores aperfeiçoaram a construção com terra, inventando novas tecnologias. Um exemplo é o superadobe, em que sacos cheios de terra compõem paredes e domos capazes de aguentar climas extremos, como o de desertos ou regiões onde neva. Além disso, novos revestimentos aumentam a durabilidade das paredes de terra – como o calfitice, uma mistura de cal, fibra, terra e cimento que aumenta a durabilidade dos prédios. Outra novidade: os arquitetos misturam essas tecnologias a técnicas mais comuns, empregando, por exemplo, fundações de concreto. A chamada “arquitetura de terra” também diminui a desagradável variação de temperatura no interior das construções. “Em uma casa de tijolo cerâmico, a temperatura varia de 17º C a 34º C”, conta o arquiteto paulistano Gugu Costa, citando pesquisas do arquiteto alemão Gernot Minke. “Já nas casas com paredes de terra medindo 25 cm, a temperatura varia menos: de 22º C a 28º C”, complementa. Na galeria abaixo, apresentamos dezoito obras construídas pelo mundo com técnicas de bioconstrução.

Paraíso do Vinho:

Foto: Divulgação

“Paraíso do Vinho”, uma casa projetada pelo arquiteto austríaco Friedensreich Hundertwasser na cidade alemã de Eisenheim, Alemanha. Hundertwasser mistura técnicas de bioconstrução – por exemplo, telhado verde e reutilização de resíduos – com o uso de materiais mais comuns, como o concreto.

Edifício de apartamentos:

Foto: Divulgação

Edifício de apartamentos em Darmstadt, Alemanha, pelo arquiteto austríaco Friedensreich Hundertwasser.

Casa Ronald Mc Donald:

Foto: Divulgação

Casa Ronald McDonald, em Essen, Alemanha. Esse prédio funciona como abrigo temporário para famílias de crianças que vêm de outras cidades buscar tratamento médico. Projeto do austríaco Friedensreich Hundertwasser.

Hotel em Styria:

Foto: Divulgação

  Hotel em Styria, Áustria. Projeto de Friedensreich Hundertwasser.

Apartamentos Kunst:

Foto: Divulgação

  Apartamentos Kunst, em Viena. Projeto de Friedensreich Hundertwasser.

Hundertwasserhaus:

Foto: Divulgação

Hundertwasserhaus, bloco de apartamentos em Viena. Projeto de Friedensreich Hundertwasser.

Ecovila de Kassel:

Foto: Divulgação

Casa em Ecovila de Kassel, Alemanha. Projeto de Gernot Minke.

Instituto de Tecnologia da Índia:

Foto: Divulgação

Edifício de pesquisa no Instituto de Tecnologia da Índia. Projeto de Gernot Minke.

Escritórios feito de palha:

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Prédio de escritórios com o domo feito de palha, projeto do arquiteto Gernote Minke, em parceria com o estúdio Createrra, em Hrubý Súr, Eslováquia.  O domo feito com palha suporta a pesada carga de necve do inverno eslovaco

Casa Akil Sami:

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Casa Akil Sami. Projeto do arquiteto Hassan Fathy em Dashur, no Egito. O uso de técnicas tradicionais garante à casa temperatura agradável no calor norte-africano.

Fortaleza em Maiorca:

Foto: Divulgação
A imagem mostra a sala de jantar do verão / Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Sa Bassa Blanca. O arquiteto Hassan Fathy transformou essa antiga fortaleza em Maiorca, Espanha, em uma casa de campo. Ele usou técnicas tradicionais do norte da África e tijolos antigos. Hoje é um espaço de exposição de arte funciona no local.

Nova Gourna:

Foto: Divulgação

Essa cidadezinha foi projetada por Hassan Fathy, a pedido do governo egípcio, interessado em retirar a população que vivia nas ruínas das necrópoles dos Faraós em Luxor.

Mercado em Karhgha:

Foto: Divulgação

Mercado em Karhgha, Egito. Técnicas milenares permitem que o prédio do arquiteto Hassan Fathy faça frente ao clima nesse oásis egípcio.

Casa de Superadobe:

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
As cúpulas aumentam a sensação de amplitude dentro da residência. O superadobe foi criado nos Estados Unidos pelo arquiteto iraniano Nader Khalili / Foto: Divulgação

Casa de Superadobe, Estados Unidos. Construídas com sacos cheios de terra empilhados, essas casas aguentam o calor do deserto californiano.

Hotel Crosswater:

Foto: Divulgação

Hotel Crosswater, na China. O edifício de bambu saiu das pranchetas do arquiteto Símon Veléz.

Igreja privada:

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Igreja privada, Colômbia. O arquiteto Simon Velez projetou encaixes específicos para o bambu e com isso conseguiu projetar novos formatos de estruturas. A iluminação torna ainda mais bonita a estrutura de bambu projetada por Simon Velez.

Pizzaria O Pedal:

Foto: Divulgação
Formas orgânicas dão aspecto marcante ao interior / Foto: Divulgação

Pizzaria O Pedal, São Paulo. O arquiteto Gugu Costa mistura técnicas de bioconstrução com alvenaria nesse projeto.

Matéria feita por: Por Nilbberth Silva. Clique aqui para ver o original.

Quer aprender essas técnicas para construir casas ou reformar um cantinho da sua residência de uma forma bem aconchegante? Venha fazer conosco o curso de bioconstrução! O curso acontecerá do dia 1 ao dia 3 de maio na sede do Instituto Pindorama em Nova Friburgo/RJ.
Nesta semana o curso está em promoção e de R$ 598,00 está saindo a R$ 498,00!

Para mais informações sobre o nosso curso de bioconstrução, clique AQUI.